Hugo Jorge - Psicologia & Counselling - Portugal, Brasil, Guiné-Bissau, São Tomé e Prínc
Formação em Psicologia, Life Coach. Ludoterapeuta. Pós-graduado em Counselling

30 Março 2008
Chicago, Illinois, 30 Mar (Lusa) - As pessoas que reduzem o nível de stress ou o mantêm sob controlo têm menos 60 por cento de risco de sofrer um ataque cardíaco ou morrer do que aquelas em que a ansiedade é elevada ou crescente, indica um estudo hoje publicado.

Das 516 pessoas que sofrem de doenças cardíacas que participaram nesta investigação, 44 por cento tiveram um ataque cardíaco não fatal e 19 por cento morreram durante os 3,4 anos, em média, em que decorreu a pesquisa, disse o médico Yinong Young-Xu, da Lown Cardiovascular Research Foundation, de Massachusetts.

O médico é o principal autor dos trabalhos apresentados na 57ª conferência anual do Colégio de Cardiologia Americano, que decorre em Chicago, nos Estados Unidos, de 29 de Março a 01 de Abril.

"Os estudos já ligaram o stress psicológico, que resulta numa depressão ou ansiedade, à progressão da arteriosclerose, desenvolvimento de trombose nas artérias e um risco maior de arritmia cardíaca", disse o médico Yinong Young-Xu.

No entanto, "são poucos os investigadores que se concentram em perceber se é possível melhorar o estado cardiovascular de uma pessoa em função do seu estado mental e reduzir os sintomas de depressão e de ansiedade através de anti-depressivos ou psicoterapias", acrescentou o médico.

Yinong Young-Xu espera com este estudo reforçar junto dos cardiologistas a necessidade de estar mais atenção aos problemas psicológicos dos seus pacientes, tanto quanto à doença cardiovascular.

Fonte: RTP
publicado por Hugo Jorge às 10:06

Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
28

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Analytics
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

27 seguidores

pesquisar
 
blogs SAPO