Hugo Jorge - Psicologia & Counselling - Portugal, Australia, Moçambique
Formado em Psicologia. Life Coaching. Ludoterapia. Counselling. NOVA PAGINA www.hugojorge.com

24 Abril 2008

Foto by: Zara

Descobri no jornal inglês Daily Mail que a prática de actividade física (fazer jogging e/ou andar de bicicleta) na meia idade pode atrasar o envelhecimento em 12 anos.


Foto by: Copenhagen Cycle Chic

Cada vez se fala mais dos efeitos e benefícios psicológicos da actividade física:

a) redução no estado de ansiedade;
b) redução do nível de depressão ligeira ou moderada ou complemento para o tratamento profissional da depressão severa;
c) o reduções de neuroticismo e ansiedade;
d) redução dos níveis de stress;
e) efeitos emocionais benéficos, em todas as idades e em ambos os sexos.

Via: Psico Desporto

Na minha prática profissional costumo fazer esta recomendação. Recebo com frequência feedbacks positivos.
publicado por Hugo Jorge às 14:58

17 Abril 2008


A Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa aprovou esta quarta-feira uma resolução em que expressa inquietação por a sociedade subestimar o número de suicídios de adolescentes, entre os 11 e os 24 anos, que afecta anualmente dezenas de milhar de jovens, noticia a agência Lusa.

A resolução, aprovada por unanimidade de 29 votos, destaca a influência da violência física, psíquica e económica, assim como a discriminação religiosa, étnica ou sexual, que pode levar um adolescente a tomar essa decisão.

Segundo o relatório, intitulado «O suicídio de crianças e adolescentes na Europa: um grave problema de saúde pública» debatido pelo Plenário, 15 por cento de adolescentes que fizeram uma tentativa de suicídio são reincidentes e 75 por cento não são hospitalizados.

O texto também manifesta a sua preocupação com a «taxa particularmente mais elevada de suicídio de jovens lésbicas, homossexuais, bissexuais e transsexuais» face à constatada entre os restantes jovens.

A Assembleia incide no perigo que representa uma «má utilização da Internet», onde se encontram espaços que fazem a apologia do suicídio.

«É preciso escutar e entender»

Para prevenir esta situação, a Câmara convida os 47 Estados membros a converter este assunto numa prioridade política, a prevenir a violência e intimidação escolar, a converter o suicídio numa disciplina de estudo e a combater o abuso de estupefacientes e álcool entre os menores.

Exorta ainda a lutar contra a «prática desumana» dos casamentos forçados e a homofobia, e a alargar o apoio psicológico e social.

Segundo o relator do documento, o legislador monegasco Bernard Marquet, este é um «assunto tabu», em que é preciso que «a sociedade saiba escutar e entender».

Marquet afirmou que o suicídio de raparigas costuma estar relacionado com uma violação, abusos sexuais ou a ruptura de uma relação e advertiu os pais «que não querem falar do tema e ocultam as circunstâncias» em que ocorre o suicídio.

Fonte: IOL Diário

30 Março 2008
Chicago, Illinois, 30 Mar (Lusa) - As pessoas que reduzem o nível de stress ou o mantêm sob controlo têm menos 60 por cento de risco de sofrer um ataque cardíaco ou morrer do que aquelas em que a ansiedade é elevada ou crescente, indica um estudo hoje publicado.

Das 516 pessoas que sofrem de doenças cardíacas que participaram nesta investigação, 44 por cento tiveram um ataque cardíaco não fatal e 19 por cento morreram durante os 3,4 anos, em média, em que decorreu a pesquisa, disse o médico Yinong Young-Xu, da Lown Cardiovascular Research Foundation, de Massachusetts.

O médico é o principal autor dos trabalhos apresentados na 57ª conferência anual do Colégio de Cardiologia Americano, que decorre em Chicago, nos Estados Unidos, de 29 de Março a 01 de Abril.

"Os estudos já ligaram o stress psicológico, que resulta numa depressão ou ansiedade, à progressão da arteriosclerose, desenvolvimento de trombose nas artérias e um risco maior de arritmia cardíaca", disse o médico Yinong Young-Xu.

No entanto, "são poucos os investigadores que se concentram em perceber se é possível melhorar o estado cardiovascular de uma pessoa em função do seu estado mental e reduzir os sintomas de depressão e de ansiedade através de anti-depressivos ou psicoterapias", acrescentou o médico.

Yinong Young-Xu espera com este estudo reforçar junto dos cardiologistas a necessidade de estar mais atenção aos problemas psicológicos dos seus pacientes, tanto quanto à doença cardiovascular.

Fonte: RTP
publicado por Hugo Jorge às 10:06

06 Março 2008


Portugal é o país da Europa onde menos se anda a pé cada português percorre, em média 342 km por ano. A conclusão é de um estudo da a Agência Europeia do Ambiente, ontem citado pela organização ambientalista portuguesa Quercus.

"Portugal apresenta o quinto pior resultado da Europa dos 27 no que diz respeito ao aumento das emissões de gases com efeito de estufa associadas ao sector do transporte, com um aumento de 96% (entre 1990 e 2005), só ultrapassado por países como a República Checa, Chipre, Irlanda e Luxemburgo", diz a Quercus.

Do outro lado da tabela, os luxemburgueses são quem mais anda a pé (457km anuais), sendo que os europeus, em média, caminham 382 km por ano.


Steady as She Goes

"Quanto ao uso da bicicleta, Portugal ocupa o terceiro pior lugar, com uma média baixíssima de apenas 29 km por pessoa/ano", alerta ainda a Quercus. Isto quando, nos países que apresentam melhores resultados no uso deste meio de transporte, "os seus cidadãos usam a bicicleta para percorrer, em média, 936 km (Dinamarca) ou 848 km (Holanda). A média comunitária é de 188 km por pessoa/ano".

Fonte: Jornal de Notícias e Associação Quercus

Benefícios de andar a pé

Actividade física e saúde


Estudo da Agência Europeia do Ambiente

19 Fevereiro 2008


Ontem participei no programa Debate Público da TV Record onde se abordou o stresse profissional. Partilho aqui informação sobre esta problemática. Caso deseje partilhar a sua experiência ou colocar alguma questão, envie-me um e-mail.

O que é o stresse?

As pessoas sofrem de stresse quando sentem que há um desequilíbrio entre as solicitações que lhes são feitas e os recursos de que dispõem para responder a essas solicitações. Embora seja psicológico, o stresse afecta igualmente a saúde física do indivíduo.

O stresse pode alterar a forma como uma pessoa sente, pensa e se comporta. Entre os sintomas de stresse contam-se:

Ao nível da organização:
  • absentismo, elevada rotatividade do pessoal, incumprimento de horários, problemas disciplinares, assédio, produtividade reduzida, acidentes, erros e agravamento dos custos de compensação ou de saúde.
A nível individual: 
  • reacções emocionais (irritabilidade, ansiedade, perturbações do sono, depressão, hipocondria, alienação, esgotamento, problemas ao nível das relações familiares);
  • reacções cognitivas (dificuldades de concentração, de memória, de aprendizagem e de decisão);
  • reacções comportamentais (abuso de drogas, álcool e tabaco; comportamento destrutivo) e
  • reacções fisiológicas (perturbações lombares, défice imunitário, úlceras pépticas, problemas cardíacos, hipertensão).
Conselhos para trabalhadores

Há medidas que pode tomar para não vir a sofrer de stresse:
  • pedir maior responsabilidade na planificação do seu próprio trabalho;
  • pedir para participar nas decisões sobre a sua área de trabalho;
  • falar com o seu chefe, com o representante dos trabalhadores ou com outros colegas que se mostrem disponíveis se achar que está a ser alvo de assédio, e manter um registo do que aconteceu;
  • falar com o seu chefe se as suas responsabilidades não estiverem bem definidas;
  • solicitar formação, se a considerar necessária, e
  • falar com o seu chefe ou representante dos trabalhadores se começar a sentir que não é capaz de fazer face às suas obrigações.
Sugestões para viver melhor:
  • Faça exercício físico (caminhadas, andar de bicicleta, natação).
  • Torne-se voluntário de uma organização. Dê algum do seu tempo para ajudar os outros.
  • Adopte um animal de companhia.
  • Crie um pequeno jardim ou uma horta. Se não tiver espaço opte por plantas em vasos.
  • Pratique meditação.
  • No meio dos afazeres diários, procure guardar um tempo para si. Faça algo que lhe dê prazer.
  • Invista na relação com os seus amigos.
  • Faça uma alimentação diversificada.
  • Evite o café, álcool, tabaco e outras drogas.
  • Procure a ajuda de um psicólogo.
Conselhos para entidades patronais

Entre as medidas eficazes de prevenção do stresse relacionado com o trabalho contam-se:
  • conceder aos trabalhadores tempo suficiente para executarem as suas tarefas;
  • definir claramente as suas tarefas;
  • recompensar os trabalhadores pelo bom desempenho;
  • permitir que os trabalhadores se queixem e apreciar as suas queixas com seriedade;
  • dar aos trabalhadores controlo sobre o seu trabalho;
  • minimizar os riscos físicos;
  • permitir que os trabalhadores participem nas decisões que os afectam;
  • adequar a carga de trabalho às capacidades e recursos de cada trabalhador;
  • conceber as tarefas de modo a torná-las interessantes;
  • definir claramente papéis e responsabilidades;
  • criar oportunidades de interacção social, e 
  • evitar ambiguidades em matéria de segurança de emprego e de perspectivas de carreira.
Sugestões para um empresa eficaz e humana:
  • Boa liderança
  • Programas de voluntariado para os colaboradores 
  • Responsabilidade social da empresa
  • Flexibilidade de horário
  • Ausência de discriminação
  • Autonomia aos trabalhadores
  • Comemoração de datas especiais
  • Recepção aos novos colaboradores
  • Boas instalações
  • Sentimento de orgulho de empresa
  • Gestão ética, honesta e competente
  • Ambiente agradável e amistoso
  • Despedimentos apenas em ultimo caso
  • Integração na empresa
  • Local divertido para trabalhar
Mais informação na página da Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho

Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
24

25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Analytics
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

27 seguidores

pesquisar
 
blogs SAPO